ISADORA DUNCAN

Desde 1994, a ECD possui um intercâmbio com a Isadora Duncan Dance Foundation de Nova York, dirigida pela americana Lori Belilove. Somos afiliadas desta associação preparando dançarinos e professores Duncan para o mundo. Conheça um pouco mais sobre esta mulher que tanto nos inspira.

 

Isadora Duncan (1877-1927), pioneira americana da dança, é uma figura importante tanto nas artes quanto na história. Conhecida como a "Mãe da Dança Moderna", Isadora Duncan foi uma revolucionária cuja influência se espalhou da América para a Europa e Rússia, criando uma sensação em todos os lugares em que ela se apresentou. Seu estilo de dança evitava a rigidez do balé. Ela defendia a noção de espírito livre juntamente com os altos ideais da Grécia antiga: beleza, filosofia e humanidade.

Segundo Isadora, o desenvolvimento de sua dança foi um fenômeno natural – não uma invenção, mas uma redescoberta dos princípios clássicos de beleza, movimento e forma. Suas danças nasceram do impulso de abraçar os desafios agridoces da vida, encontrando o destino de frente em sua própria jornada, cheia de tragédia e êxtase. Ela estava determinada a "dançar uma dança diferente", contando sua própria história de vida através de expressões abstratas e universais da condição humana.

Chocando algumas plateias e inspirando outras, Isadora representou um desafio para as ortodoxias predominantes de seu tempo. Isadora foi uma campeã na luta pelos direitos das mulheres. Muitos viram uma visão gloriosa para o futuro na coreografia de Isadora. Sua influência sobre o desenvolvimento de ideias progressistas e  a cultura de seu tempo ainda tem que ser avaliada nos nossos dias. Ela inspirou artistas, pensadores e idealistas em todos os lugares.

Apesar da morte prematura de Duncan, seu legado continua a inspirar artistas contemporâneos e mentes que quebram fronteiras ao redor do mundo. No início da carreira de Isadora, o escultor Laredo Taft descreveu-a como "poesia personificada. Ela não é a décima musa, mas todas as nove musas em uma". E assim acontece. Há mais de 40 livros sobre Isadora Duncan, inúmeros desenhos, pinturas e esculturas, dois grandes filmes, uma dúzia de documentários de TV e várias peças e poemas.

 

 

Since 1994, ECD has had an exchange with the Isadora Duncan Dance Foundation in New York, directed by American Lori Belilove. We are affiliated with this association preparing Duncan dancers and teachers for the world. Learn a little more about this woman who inspires us so much.

 

Isadora Duncan (1877-1927) was an American pioneer of dance and is an important figure in both the arts and history. Known as the “Mother of Modern Dance,” Isadora Duncan was a self-styled revolutionary whose influence spread from American to Europe and Russia, creating a sensation everywhere she performed. Her style of dancing eschewed the rigidity of ballet and she championed the notion of free-spiritedness coupled with the high ideals of ancient Greece: beauty, philosophy, and humanity.

 

According to Isadora, the development of her dance was a natural phenomenon – not an invention, but a rediscovery of the classical principles of beauty, motion, and form. Her dances were born of the impulse to embrace life’s bittersweet challenges, meeting destiny and fate head-on in her own whirlwind journey, filled with both tragedy and ecstasy. She was determined to “dance a different dance,” telling her own life story through abstract, universal expressions of the human condition.

 

Shocking some audience members and inspiring others, Isadora posed a challenge to the prevailing orthodoxies of her time. Isadora was a champion in the struggle for women‘s rights. Many saw a glorious vision for the future in Isadora’s choreography. Her influence upon the development of progressive ideas and culture from her time to our own has yet to be measured. She has inspired artists, thinkers, and idealists everywhere.

 

Despite Duncan’s untimely death, her legacy continues to inspire contemporary artists and boundary-breaking minds around the world. Early in Isadora’s career, sculptor Laredo Taft had described her as “Poetry personified. She is not the tenth muse but all nine muses in one.” And so it was. There are over 40 books about Isadora Duncan, countless drawings, paintings, and sculptures, two major motion pictures, a dozen TV documentaries, and several plays and poems.

Isadora_Duncan_portrait_cropped.jpg